banner lateral galeria

Historial

Numa casa situada na rua da Figueira, em Portalegre, funcionava um hospital onde a Irmandade da Misericórdia albergava e ajudava os mais carenciados mas deparava-se com poucas condições, nomeadamente algumas limitações de espaço. Na mesma altura a Confraria do Espirito Santo detinha uma Albergaria, que segundo o Provedor da Misericórdia da altura, Lopes Ribeiro, seria o local ideal para estabelecer o Hospital pois era amplo e situado numa zona da cidade com um clima mais ameno.

Foi feita uma proposta ao Juiz e Mordomo da Confraria para reunir os dois hospitais e na qual a Misericórdia se obrigava a dar guarida aos peregrinos, e alimentar e prestar cuidados aos enfermos pobres, por outro lado, a Confraria assegurava a manutenção do edifício a o fornecimento de roupas necessárias. Para além disso a Misericórdia comprometeu-se ainda a dar à Confraria 70.000 reis para levar a cabo a obra.

Seguiu-se a construção de novo templo, bem como de um hospital, mais afastado do centro histórico da cidade e que permanece até aos dias de hoje como a sede da Santa Casa da Misericórdia de Portalegre.

A Misericórdia de Portalegre foi uma das primeiras do país a ser instituída. Passados mais de 500 anos, a Santa Casa da Misericórdia de Portalegre orgulha-se de ter tido sempre um papel fundamental na prestação de cuidados e apoio ao cidadão nas áreas da Ação Social, Saúde, Ensino, Educação e promoção da qualidade de vida e do bem-estar. A Instituição apoia tanto pessoas idosas como adultos e crianças e jovens. Diariamente são prestados serviços a centenas de pessoas sempre com o maior profissionalismo, dedicação e amor fraterno.

Desde 2012, com a tomada de posse do novo provedor, João José Mousinho Serrote, o desafio foi humanizar e cristianizar o trabalho da Santa Casa da Misericórdia de Portalegre, praticar uma gestão transparente e valorizar e promover o património histórico.